segunda-feira, 6 de junho de 2011

Uma das lanchas mais antigas de Garopaba é reformada no Estaleiro da Prefeitura

A antiga lancha Eliana, que na há algumas décadas servia aos irmãos Rubens e Joaquim, depois de muitos anos de trabalho foi vendida e ambos trilharam o seu próprio caminho. Ruberval Francisco Alexandrino, o irmão mais velho, passou a comandar o barco Talita enquanto Joaquim Francisco Alexandrino, o “Quinca”, era o proprietário da embarcação Isadora. Para ajudá-los, contavam com o trabalho de aproximadamente trinta homens.

O tempo passou, Rubens teve complicações de saúde, e há menos de cinco anos faleceu, aos 79 anos. Sua lancha foi reformada ano passado depois de estar quase sem condições de entrar no mar. Ela recebeu os cuidados de Manoel Constante, carpinteiro naval do Estaleiro da Prefeitura.

Foi em 2009 que este trabalho parceiro da Prefeitura com os Pescadores iniciou, segundo o Secretário de Agricultura e Pesca, Luiz Bernardo. O carpinteiro é funcionário público, mas “atualmente, por ter varias embarcações no estaleiro, os proprietários de barcos estão pagando por fora outro profissional”.

 Mas foi em 2011 que a lancha Isadora teve seus “dias de princesa”. Quinca viu a necessidade de reformar a embarcação que tem mais de trinta anos.  A lancha ficou no estaleiro até os últimos dias do mês de maio, excedendo os primeiros dias da safra da Tainha, porém a Isadora só voltou a passear no mar dia 31 de maio, pois ainda iria receber a pintura.
   
Segundo o carpinteiro Manoel, também conhecido como Raquel, a embarcação ficou no estaleiro cerca de um mês. A reforma foi realizada por ser uma embarcação antiga, “eram madeiras de trinta ou quarenta anos, esta embarcação tem, pelo menos, quarenta anos”.

Ao falar de pesca, Quinca ainda é otimista. Disse que apesar de ter diminuído a quantidade das safras ainda é possível garantir o sustento com este trabalho, mas adverte: só existe a possibilidade para “quem gosta de pescar, quem já não gosta não existe mais”; acrescenta que “sinto um pesar de não pescar mais, com o aparelho (lancha) que eu tenho hoje. Gosto, e como gosto de pescar!”

No estaleiro são reformadas desde lanchas de alto mar, caícos, botes e canoas, desde que contenham características artesanais. Para ser beneficiado com o serviço do Estaleiro, o pescador deve procurar a secretaria e se inscrever. Ele pagará apenas o material utilizado. Em tempos de safra, a prioridade de reforma será dada as embarcações de maior porte, conforme explicou Bernardo.

Matéria do Jornal da Praia Garopaba
Edição 171
Fotos Heloiza Abreu

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário